26 de mar de 2010

Felicidade.

É, cansei de falar de coisas tristes. Só por hoje não vou falar nem pensar em NADA triste. É uma promessa! E como as promessas que fazemos para nos mesmos são as que NUNCA devemos quebrar, hoje vou falar de coisa boa.
Estava cá com meus botões, nesse ar condicionado congelante, pensando nas oportunidades que tive em minha vida.
Logo quando nasci fui tão amada por aqueles que seriam meus pais, que na boa, não precisava pedir mais nada por uns bons 200 anos. Aí depois fui brindada com uma infância cheeeeia de alegria. De amores, carinhos, presentes e tudo mais que uma criança pode querer. Os anos foram passando e eu fui crescendo. Crescendo em meio a muitas pessoas especiais, sem contar a comida boa, a cama quente e a casa segura, que sempre tive. Estudei em escolas boas, tive a oportunidade de conhecer lugares muito bacanas e ainda convivi com pessoas espetaculares.
Cresci mais um pouco e me formei em um colégio ótimo, só com pessoas especiais, que vão estar para sempre em meu ♥. Depois entrei em uma faculdade super conceituada (pelo menos se tratando do meu curso) e pude escolher em qual turno estudar. Fui mais uma vez feliz ao determinar que deveria ser noturna. Conheci mais pessoas lindas e meu ♥ mais uma vez se encheu de felicidade.
Hoje faço um estágio em que as pessoas dariam a bunda para estar no meu lugar, e ainda recebo propostas ótimas de projetos paralelos em que ficarei muito feliz em realizar.
Tá vendo? Minha vida nem é tão ruim. ELA É BOA PRA CARALEO!
Mais por favor, não me venha com olho gordo ok?

Entre sem bater.

22 de mar de 2010

Para você #1

De uns tempos para cá venho escrevendo muitas coisas positivas. Venho tirando você da minha cabeça e da minha vida aos poucos. Ou eu achava que isso estava acontecendo. Hoje me bateu uma saudade gigante. Acho que a saudade bateu mesmo ontem.. Sonhei com você. Não havia palavras no sonho, nem gestos. Você apenas estava ali e eu via você. E agora dói muito. Dói a ponto deu tomar atitudes loucas, como procurar na internet como saber quem me bloqueou do msn só para saber se você me bloqueou. Devo mesmo estar louca. Quando acho que estou melhorando, evoluindo no meu precesso de desapego, você volta com tudo. Com mais força que antes. Agora a pouco me peguei chorando ao olhar para o seu e-mail no meu msn. Eu não estou aguentando mais isso. No meu quarto você se faz presente mais uma vez. Não pelos 'restos' que guardo de você, porque esses já estão em uma caixa.. mas no ar. Em tudo que eu vejo, penso, sinto.. alí e aqui esta você. Queria me livrar disso como alguem se livra de uma perna doente. Gostaria de poder fazer uma cirurgia e arrancar a minha parte doente. Se é que não estou toda doente. As vezes seria necessário morrer e nascer de novo para que eu fique em paz. Você chegou do nada na minha vida e a mudou para sempre. Eu me permito te esquecer, eu faço o possivel e o impossivel mas a cada dia esta mais dificil. Só queria poder olhar em seus olhos mais um vez e sentir seu abraço.. e seu cheiro único. Estou perdendo minhas noites escrevendo coisas sem sentido e que você muito provavelmente nunca vai ler. Eu me odeio muito por isso, mas acabo te amando cada vez mais. Ninguem mais me atrai, ninguem mais me faz sorrir.. ninguem. Estou ficando louca..

11 de mar de 2010

Final feliz.


Acabei de ver um filme FANTÁSTICO. Não pela produção, nem pela trilha sonora, muito menos pela fotografia. Não que tudo não tenha sido maravilhoso, mais o motivo que me encantou foi o click que o filme me deu. Uma comédia romântica sempre remete a beijos doces, sexo água com açucar e finais felizes. Não que no filme que acabei de ver tenha sido diferente, mais em um certo momento do filme, não tive como não me emocionar. Resumindo, o moçinho e a moçinha ficam juntos e felizes mais um belo dia eles se separarm. Traçam caminhos diferentes e são felizes, cada um com seu cada um. Enquanto via o filme, não tive certeza se eles se reencontrariam no final, ou se seria um filme atípico, daqueles em que o final não é feliz. Depois eles ficam novamente juntos, mas nas cenas em que eu os vi separados, cada um em um canto (e MUITO felizes), chorei muito. E sabe porque? Porque eu começei a pensar que o final feliz que desejamos, nem sempre é o final feliz melhor pra gente. Não é porque os planos do destino mudaram a nossa vida, mudaram nosso namorado, mudaram a nossa cidade, que não podemos ser felizes com nossa nova realidade. As vezes não é para ser daquele jeito, simplismente. Porém, não entendemos isso logo de cara, e choramos, nos descabelamos e entramos de cara em um pode de sorvete. Com o amadurecimento, vemos o outro lado da história que nem é tão ruim como achavamos que seria. Podemos sim sermos felizes sozinhos. Não precisamos de um homem/mulher, nem mesmo DAQUELE homem/mulher. Apenas precisamos nos amar acima de todas as coisas e aprender que as vezes devemos sair do nosso corpo e olhar a situação de fora. Ou simplismente assistir a um filme daqueles que mudam a nossa vida, como o que eu vi hoje. Dói muito pensar em ser feliz sem ele. Só que é hora de amadurecer, levantar a cabeça e seguir em frente. Termino esse post com um longo suspiro, uma vontade incrivel de chorar mais, mas com orgulho de mim. Orgulho de ser quem eu sou, de ter os amigos que eu tenho, de ter a vida que eu tenho. Orgulho de estar cada dia aprendendo mais e mais.

Entre sem bater.

10 de mar de 2010

Libertação.


Alguém sabe quão poderosas são as palavras? Eu sei. E uso a meu favor. Um segredo compartilhado, passa a ser realidade. Uma promessa, mesmo que não seja cumprida, muda muita coisa. E sabendo usar bem as palavras, temos o mundo nas mãos. Podemos criar e recriar nossa realidade. Podemos escrever contos e mais contos e sensibilizar. Escrever relaxa, liberta. Mesmo quando escrevemos com a intenção de alguém ler, e esse alguem não lê, já é meio caminho andado. Pelo menos o sentimento não esta só dentro de nós. Agora ele faz parte do mundo. É um registro vivo.
Escrevo tanta coisa querendo que você leia e sensibilize. Mais eu sei que você não lê. Você nem se lembra mais de mim. Acho que quando falar de mim, você diz: Fulana? Que Fulana?. Enfim, agora não importa mais. Eu só quero continuar escrevendo, para não dizerem que eu nunca tentei.

Afinal, de pouquinho em pouquinho, eu vou me libertando.

9 de mar de 2010


Acho que estou começando a desacreditar nas pessoas. Logo eu que sempre fui uma pessoa tão amorosa, cheguei ao meu limite. O líquido do copo transbordou e não tem como colocar nem mais uma gota. Agora é preciso deixar o sol vir e secar todo o líquido. Depois disso, as vezes eu queira novamente encher o copo. Mais agora não. Sò quero sentar e esperar o que havia derramado secar. Enquanto isso, eu penso quem esta mesmo errado. O fato é que não dá mais para levar adiante relações de mão única. Mesmo que eu vá empurrando com a barriga, cedo ou tarde iria tudo pelos ares. Então, é melhor que eu coloque um ponto final agora, sem grandes traumas nem brigas escatológicas. E quando for o momento, boto um caps lock e inicío uma nova frase, uma nova fase, uma nova história.

Entre sem bater.

8 de mar de 2010

Mania.


Eu tenho mania de mudar de mania. Um dia é mania de escovar o dente antes de comer, no outro, é mania de dormir de meia, e por aí vai. Hoje a minha mania é de esquecer o passado e o futuro e focar somente no meu presente. Presente em todos os sentidos. Na minha cama quentinha, na minha faculdade que eu vibro, nos cigarros que eu fumo... Pensar no passado? Pra que? Pensar no futuro? Pra que? O passado não volta mais e o futuro ainda não chegou. Melhor eu me ater ao que estou vivendo nesse exato segundo. Sem ficar encucando com o que vou vestir amanhã ou para qual balado vou no final de semana.
As coisas ficam mais simples quando deixamos acontecer naturalmente. Sem stress, sem desesperar. O que for para acontecer, vai acontecer e ponto final. E olha quantas outras coisas você poderia fazer, se não tivesse pensando naquele cara que te fez sofrer ou naquele trabalho que não deu certo.
O negócio é viver o presente bem vivedo. Os frutos você colhera naturalmente no futuro. Não precisa ficar planejando tudo, deixa acontecer. Relaxa e faz um bem danado a saúde.

Não era bem isso que eu estava pensando em escrever hoje. Enfim, não dá para programar.

Entre sem bater.

7 de mar de 2010

Desabafo.


Resolvi escrever um livro. Pode-se chamar apenas de história para não parecer muito pretencioso. Mas é a minha história. Sem dar nome ao bois nem alfinetar pelas costas. Mas não deixa de ser a minha história. Na verdade escrever era tudo o que eu precisava. Não aguento mais meu mundo, minha vida. Preciso dar um tempo de tudo e de todos por mais que doa. E vou me jogar na minha história. Vou dedicar todo minuto livre. Além de me dedicar mais ao estágio, a faculdade e a mim. Vou parar de comer carne de boi e tentar fazer um esporte ao ar livre. Ou pilates, yoga... seila. Estou precisando me encontrar para depois decidir que rumo tomar da minha vida. E para começar vou tentar dormir mais cedo e acordar cedo. Dormir cedo eu não garanto, mais acordar eu acordo nem que seja na marra. Amanhã vou levantar as 8 e dar uma volta. Tomar um sol sabe? Eu me escondi no meu sofrimento e agora não sei mais quem eu sou. Já prometi mudar milhões de vezes mais agora tenho que faze-lo por bem ou por mal. Ah, e vou fazer uma tato para iniciar minha nova fase. Só me falta o dinheiro (rs). Enfim, já são quase 4 horas da manhã e preciso dormir para que amanhã seja o primeiro dia da minha nova vida.

E tenho dito.

Entre sem bater.

A Sombra.